Como Reconstruir uma Nação!

Vivemos um período de turbulências política e econômica no Brasil. Vivemos o caos social pela violência e pelos excessos de direitos que nós mesmos nos outorgamos, esquecendo, na maioria das vezes, que para cada direito existe antes o cumprimento de uma obrigação. Agora, a questão é: reconstruiremos a nação? Já é contumaz perceber que o Estado onera a nação para obtenção de benefícios políticos eleitoreiros. Aliás, não raras vezes convivemos com escândalos que acabam estragando os meios de produção. É a frustração completa do cidadão ao ver um político justificando que as diárias de viagens recebidas servem como meio de complementação de salários, como se diárias fossem um benefício. Trabalhamos praticamente seis meses por ano somente para pagar os impostos, sem que o [...]

Cor@gem: Onde estão nossos líderes?

Nessa semana pensei muito sobre liderança. Ouvi o testemunho de Anton Stephans, um cantor que durante toda a sua vida cantou com grandes estrelas do Pop mundial. Ele era a segunda ou terceira voz, o cara que fica no fundo do palco, aquele que ouvimos mas não sabemos o nome. Educadamente, sem qualquer mágoa, ele falou que apenas fazia parte do trabalho e da arte da outra pessoa, do artista principal, mas que agora, com 45 anos, havia chegado a conclusão de que era hora dele ouvir os aplausos, de realizar o seu sonho. Agora ele tinha a coragem necessária para tal. Ao longo da minha vida estudei administração, me especializei e fiz mestrado, então tente imaginar quantos textos sobre liderança já passaram pelas minhas mãos. Uma das descobertas foi a de que nenhum texto, exceto [...]

Fecha a Matemática

Essa semana parei um pouco para pensar em como seriam as empresas se todos os colaboradores tivessem a motivação, entusiasmo e a atitude de um empreendedor... Tenho convicção de que a produtividade aumentaria drasticamente, e os resultados seriam inevitáveis: entrega no prazo, vendas elevadas e alto nível de satisfação do cliente. A criatividade seria algo incontrolável e a inovação seria parte do processo sem muito esforço. E a busca pelo conhecimento? As 8 horas do dia seriam naturalmente insuficientes para a conquista do aprendizado necessário. Seria mais uma atividade para incluir na rotina diária, assim como a alimentação e o banho. Lembrei da alegria pelas conquistas, da busca incessante pelo novo. E o medo de errar? Um medo que vem cheio de excesso, que [...]

Castelos de Bits

Li em algum lugar que a Internet era uma destruidora de cadeias de valor. Na verdade é, mas eu completaria dizendo que ela é mais do que isso. Eu penso que ela é uma destruidora de castelos. Faz 20 anos que trabalho com Internet, o que para muitos dos profissionais do ramo me transforma em uma espécie de dinossauro. Sendo assim, aproveitando que não fui extinto, vi quase tudo o que ela fez: Do lado de quem presta o serviço, vi o nascer dos provedores; as brigas entre operadoras; concentração de mercado; atos regulatórios; a bolha (ou as bolhas); fusões e aquisições; a evolução das linguagens da comunicação – tanto em programação quanto em design; as fases da infraestrutura, as novas aplicações. Do lado de quem usa o serviço vi a busca não indexada (praticamente uma search [...]

Smith chegou

Sempre gostei de Matrix. No meu ponto de vista toda a história tinha muita lógica. De um lado, um mundo virtual onde todos estão conectados e vivemos nosso dia-a-dia realizando tudo o que fazemos no mundo real. Uma vida paralela, digital. De outro, a parte louca mas aceitável: homens usados como fonte de energia; a realidade como simples impulsos eletromagnéticos traduzidos pelo cérebro; interconexão e pessoas ligadas através de hardware e software; acesso a rede global de informações, etc. Quando o filme foi lançado eu já trabalhava fazia alguns anos com a Internet, por isso tudo parecia extremamente familiar e possível para mim. Como dizia Morpheu, o “eu digital”, na minha humilde concepção, era viável. Apenas uma coisa não fez sentido em toda a trilogia: o fato de [...]