Fecha a Matemática

Essa semana parei um pouco para pensar em como seriam as empresas se todos os colaboradores tivessem a motivação, entusiasmo e a atitude de um empreendedor... Tenho convicção de que a produtividade aumentaria drasticamente, e os resultados seriam inevitáveis: entrega no prazo, vendas elevadas e alto nível de satisfação do cliente.
Voltar Publicado em: 02/10/2015
Visualizações: 1292

Essa semana parei um pouco para pensar em como seriam as empresas se todos os colaboradores tivessem a motivação, entusiasmo e a atitude de um empreendedor...

Tenho convicção de que a produtividade aumentaria drasticamente, e os resultados seriam inevitáveis: entrega no prazo, vendas elevadas e alto nível de satisfação do cliente.

A criatividade seria algo incontrolável e a inovação seria parte do processo sem muito esforço.

E a busca pelo conhecimento? As 8 horas do dia seriam naturalmente insuficientes para a conquista do aprendizado necessário. Seria mais uma atividade para incluir na rotina diária, assim como a alimentação e o banho.

Lembrei da alegria pelas conquistas, da busca incessante pelo novo. E o medo de errar? Um medo que vem cheio de excesso, que corrói e ao mesmo tempo impulsiona para sempre fazer melhor.

O compromisso com o “fazer certo da primeira vez” e “corrigir àquilo que está errado” sem a necessidade de supervisão e controle.

Será utopia? Alguns diriam que sim, e não cabe a mim julgar esta interpretação. Eu prefiro acreditar que não é utopia e que só assim é possível realizar ações para que possamos repensar as nossas atitudes no dia a dia.

Em paralelo a isso está a Legislação Brasileira, ainda da época dos dinossauros. É fato que não avançou para atender as necessidades das empresas e dos próprios colaboradores. É inflexível, engessada, amadora! Não permite o desenvolvimento pleno das pessoas, não permite a escolha.

E então vem a pergunta que não quer calar: a motivação, o entusiasmo, a atitude diferenciada, o profissionalismo dependem de quem?

Quem estuda o ser humano consegue entender o potencial que existe neste ser que é tão sensível, tão frágil!

Quem estuda o ser humano consegue ver que a motivação vem de dentro, vem de quem consegue olhar a vida com os olhos coloridos de um passarinho e o coração puro de uma criança.

E o entusiasmo surge quando você se entrega para o que está fazendo, com toda a força que você tem, com a concentração e a certeza de que manter o foco pode gerar grandiosidades!

E isso me permite afirmar que tem muita coisa que pode ser feita através do ser humano, tem um “querer” dentro de cada um que pode transcender.

E aí eu penso no orgulho, no orgulho em sair de um dia de trabalho, e conseguir dizer: eu produzi mais do que a expectativa, eu tenho minha consciência feliz e em paz, porque faço o que gosto e realizo inclusive o inesperado. Ah como é bom deitar a cabeça no travesseiro e saber que a empresa atingiu os objetivos e melhor ainda quando isso ocorreu para além do esperado!

Evoluir é a nossa missão como pessoa e essa busca incessante é individual, depende exclusivamente de fazer mais, de ser mais! Hoje mais do que nunca o conteúdo está todo disponível e o acesso é ilimitado, só precisamos acrescentar a vontade inesgotável. Como diria minha mãe: “fecha a matemática”.



Voltar